sábado, 24 de fevereiro de 2018

A Educação Infantil na Escola Municipal Luiz Moreira da Silva é lugar de ludicidade e aprendizagem


Para os pequenos, quase tudo na vida é brincadeira. Por isso, na Educação Infantil, não faz sentido separar momentos de brincar dos de aprender. Essa simultaneidade pede que espaços e rotina da escola sejam planejados de modo a proporcionar multiplicidade de experiências e contato com todas as linguagens, o tempo todo. Sem abrir mão, é claro, dos cuidados com segurança e saúde.


A partir dos 4 anos, as crianças são capazes de executar muitas tarefas sozinhas, inclusive as de autocuidado, ainda que demorem um pouco mais para realizá-las. Assim o processo de ensino-aprendizagem vai sendo trabalhados com mais naturalidade.


AEE valorizando as diferenças


Por Macimina Baracho
As Professoras Alvanir e Thathianny do atendimento educacional especializado (AEE) são importantes parceiras nesse processo de valorização das diferenças, considerando a natureza desse serviço de apoio. Apesar de atender somente aos alunos público-alvo da educação especial, a contribuição do AEE na escola é muito mais abrangente. 


As estratégias desenvolvidas para alunos com deficiência servem para o ensino-aprendizagem e a participação dos demais estudantes. Isso mostra que, priorizando a educação inclusiva, a direção escolar agrega benefícios a todos da instituição. Ou seja, a questão não é só discutir casos específicos, como se a diferença fosse um “privilégio” de somente alguns alunos. Afinal, a inclusão não tem a ver somente com pessoas com deficiência.


Vale lembrar que ela também está relacionada às diferenças étnicas, sociais, culturais, regionais e etc. Enfim, com todos que compõem o universo da escola. Em suma, valorizar as diferenças beneficia não somente aqueles que foram historicamente excluídos dos espaços de aprendizagem, mas também traz melhorias a todos nós para que, juntos e colaborativamente, superemos a expectativa da homogeneidade e acreditar que todos podem aprender e reconstruir a escola. As professoras Alvanir e Thathianny nos ensina que normal é ser diferente.

Aprenda brincando com o Ditado Doce das Professoras Andreia e Verônica dos 5º anos "A e B" da E.M.L.M.S


Por Macimina Baracho

Você está precisando realizar uma atividade diagnóstica para o relatório inicial? No primeiro dia de aula? Os alunos vão aprender a ler palavras e frases? Eles estão com dúvidas em Língua Portuguesa, confundindo a escrita correta das palavras?


Então brinque com elas de Ditado Doce, que vai ser o maior sucesso na sua sala!

Nem sempre, mas algumas vezes aprender brincando é melhor, porque assim o que se estuda tornar-se significativo para a criança.


O Ditado Doce é uma maneira diferente de se trabalhar o tradicional ditado; um criativo e estimulante jeito de atingir os objetivos dessa estratégia: reforçar aquilo que já foi ensinado ou um diagnóstico para descobrir o que os pequenos sabem, através da brincadeira!


Essa atividade pode ajudar no desenvolvimento e estimular várias habilidades como a concentração, escrita e leitura de palavras e números, cálculo e agilidade mental, verificar o vocabulário e ortografia tanto em português como em outras línguas e ainda pode servir de ferramenta para a construção de textos.


O importante é que ele seja relacionado a algum tema que esteja sendo estudado pela criança.

Como brincar de Ditado Doce?

Há várias maneiras de organizar essa atividade. Para conseguir desvendar esse desafio, é necessário que seja pregado uma palavra ou frase, número ou cálculo no pirulito/bombon ou bala, e é só começar a diversão!


O Ditado Doce pode ser organizado de várias maneiras: chamando uma criança por vez, em duplas ou até em pequenos grupos que serão desafiados a ler/resolver desafios ou perguntas que estarão pregados no doce. Uma criança retira o papel do doce, lê a palavra/frase ou número/cálculo para as outras e depois escreve no quadro. Há uma infinidade de alternativas para fazer essa atividade. Para treinar tabuada, por exemplo, podemos colocar uma conta ali e elas dão a resposta… ou o contrário.

Solte sua criatividade e boa diversão e aprendizagem!

Quem pode brincar?

O Ditado Doce não tem uma idade específica para ser usado, porém, algumas crianças ou até adultos vão sentir-se motivados.

O sucesso da atividade depende de como motivamos os nossos alunos!


O diretor Endrison dos Santos, participou e adorou a atividade. O mesmo falou que: "Não vejo nem um problema o professor trabalhar o tradicional, mas o velho tradicional pode ser acrescido de um pouco de criatividade junto com uma pitada de ludicidade. Dar trabalho, mas o novo nos motiva muito mais. Por gostar de trabalhar com ideias inovadoras e por ser a favor da construção do conhecimento, sinto a necessidade da ludicidade nas nossas salas de aulas, e isso, as nossas professoras estão de parabéns, pois essa parceria com a supervisão e colegas de trabalho tem surtido efeitos bastantes positivos no processo ensino e aprendizagem". Relatou o diretor da Escola Municipal Luiz Moreira da Silva.


As Professoras Andreia e Verônica adoçaram a aprendizagem dos seus alunos. Parabéns meninas!!!

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Uma Chuva de Palavras em Alto do Rodrigues-RN


Atividade diagnóstica envolvendo leitura, escrita e separação silábica.



Na manhã e tarde de hoje, houve uma "chuva de palavras" nas turmas dos 3º anos "A e C" das professoras Patrícia Regina e Kakaça  da Escola Municipal Luiz Moreira da Silva. Neste período de chuva em Alto do Rodrigues, nada melhor do que trabalhar atividade lúdica com leitura e escrita. Ela pode se tornar muito divertida. Quer ver?...


Comece utilizando um guarda-chuva para se proteger da chuva de palavras. Coloque umas balas ou pirulitos para incentivar a leitura e escrita de palavras. Cole várias palavras no guarda-chuva juntamente com as balas.


ETAPA 1:

Destacar uma palavra do guarda-chuva e pedir que as crianças observem as letras que formam a palavra, escrevê-la no quadro e fazer a separação silábica.


ETAPA 2

O guarda-chuva deverá ser aberto e a criança deve escolher a palavra para ler, escrever no quadro. Cada palavra acertada vale 1 uma bala. Os alunos que não conseguiram pediram ajuda aos seus colegas.


Espero que tenham gostado da ideia das professoras Patrícia Regina e Kakaça.






segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Nossa escola sem você, não tem o mesmo brilho.



A volta às aulas dos 640 alunos da escola municipal Luiz Moreira da Silva aconteceu neste dia 19 de fevereiro. Os professores contratados ficaram atentos para esse momento, pois realizaram uma recepção acolhedora, bem organizada. Foi o primeiro passo para despertar o interesse dos estudantes pelas atividades escolares durante todo o ano.


Alguns professores efetivos mesmo reivindicando os seus direitos hoje na parada nacional e municipal foram acolher os seus alunos na escola pela manhã e tarde. A organização das salas, a apresentação de professores aos alunos, a interação dos alunos e a recepção dos pais e da comunidade escolar fizeram parte desse processo na manhã e tarde de hoje.


O acolhimento foi muito importante para fazer com que os alunos se adaptem e comprometam com as atividades quando tudo está organizado desde o início e quando a escola se mostra feliz em recebê-los.


Na ocasião, os pais e alunos novatos conheceram a estrutura física da escola que precisa de uma reforma, mas a Secretaria de Obras confirmou que a escola Luiz Moreira passará por uma reforma durante o andamento do ano letivo.


Para que a criança se sinta bem, os responsáveis também precisam ter segurança. Essa conversa foi o primeiro passo para formar uma relação de confiança entre os pais e a escola municipal Luiz Moreira.


Os alunos durante o ano letivo, tem a possibilidade de fazer novas amizades, de aprender, de conhecer novos espaços e de ter autonomia. Os pais dos alunos precisam valorizar a escola como um espaço social e cultural organizado para o processo de ensino. Eles precisam deixar a criança na escola muito próximo do horário de início das aulas e pegá-la imediatamente após o término. 


segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

A Paraíso do Tuiuti trouxe o presidente Michel Temer para a Avenida



Depois de uma passagem trágica pela Sapucaí em 2017, com um acidente com sua última alegoria que causou a morte da radialista Liza Carioca, a Paraíso do Tuiuti levou um Carnaval de crítica social para a avenida na madrugada desta segunda-feira (12). Com o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, sobre os 130 anos da Lei Áurea, a escola trouxe o tema para o presente no último setor do desfile, mostrando com muita ironia que a escravidão permanece até hoje, mas de forma diferente. O último carro representou um novo navio negreiro, com o presidente Michel Temer transformado em um “Vampiro Neo Liberalista”, e batedores de panela (em referência aos protestos contra o governo do PT), também lembrados nas fantasias da ala “Manifestoches”, com a característica camisa da seleção brasileira de futebol. A arquibancada respondeu à passagem da alegoria com gritos de “Fora, Temer”. As reformas trabalhista e da previdência foram criticadas em alas como a “Guerreiros da CLT”, que também lembraram o trabalho precário em fazendas e confecções. 


sábado, 10 de fevereiro de 2018

Flamengo atropelou o Botafogo e Vinicius Junior faz o “chororô”




O Flamengo venceu o Botafogo, na tarde deste sábado, e garantiu sua classificação para a final da Taça Guanabara de 2018, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Mesmo com a vantagem do empate, o rubro-negro dominou a partida e aplicou 3×1. O último gol, anotado pelo garoto Vinicius Júnior, gerou uma pequena confusão em campo. No último lance da partida, próximo aos 49 minutos, o camisa 20 recebeu a bola no lado esquerdo, cortou para o meio e finalizou com estilo. No ângulo. Sem chances de defesa para Jefferson. Na comemoração, Vinicius Júnior fez o famoso ‘chororô’, provocando o rival. A ação não caiu bem com os jogadores adversários, que não gostaram nada do fato. Após o clássico, Vinicius Junior falou sobre a comemoração e descartou estar arrependido. “Foi para concretizar a vitória, o que eu fiz foi na alegria do jogo, faço isso desde a base, ninguém vai tirar isso de mim, não foi para provocar ninguém. Vamos comemorar agora”, disse.