quinta-feira, 29 de junho de 2017

PADRE CANINDÉ: UM APAIXONADO PELO SACERDÓCIO



Por: Ivan Pinheiro
FRANCISCO CANINDÉ DOS SANTOS nasceu, lá no “pé” da Serra do Cabugi - (Angicos/RN) na comunidade denominada Pelo Sinal. Quem um dia teve a feliz ideia de colocar o nome daquele pequeno povoado de “Pelo Sinal”, não imaginava que naquele sertão, castigado pela seca, no dia 05 de julho de 1937, nasceria uma figura humana que seria, durante toda a vida, o expositor andarilho da Santa Cruz.

O vocacionado Canindé estudou o primário ainda em Pelo Sinal. Sua primeira professora foi Isabel Neco de Oliveira que também foi sua madrinha de batismo. 

O menino Canindé, alentado pela fé, teve a coragem de sair do seio de sua família para adquirir conhecimentos, levando consigo, à vontade de servir a Deus. Foi para Mossoró onde estudou de 1951 a 1957. Em 1958 estudou em João Pessoa (PB) onde concluiu o segundo grau. De 1959 a 1960 estudou em Fortaleza (CE) e de 1961 a 1965 estudou Filosofia e Teologia, no Seminário Regional do Nordeste em Olinda (PE).

Padre Canindé como é conhecido por toda a população do Assú e do Vale foi ordenado padre no dia 29 de junho de 1965 e teve como missão abraçar a partir de 03 de janeiro de 1966 a Paróquia do Assu. Nesta cidade, durante estes cinquenta e dois anos, atuou como um verdadeiro pastor, um semeador da palavra de Deus.
Foi também: professor; diretor dos estabelecimentos educacionais Instituto Padre Ibiapina e Ginásio Pedro Amorim; maestro de bandas marciais; diretor e radialista da Rádio Princesa, entre outras atividades pertinentes a sua missão apostólica.

Na sua labuta diária Padre Canindé recebeu amor, carinho e afeto da população assuense e também, em alguns momentos, contrariou interesses e foi incompreendido por uma infinidade de paroquianos.
Com uma paróquia de dimensões diocesana para administrar, já que durante muitos anos absorveu os municípios de Carnaubais e Porto do Mangue, Padre Canindé sempre encontrou tempo para se dedicar as causas sociais. Nesta área abraçou lutas históricas, entre estas:

- Combateu ao lado do povo a forma exacerbada e desrespeitosa com que o Governo Federal tratou os proprietários de imóveis urbanos e rurais localizados nas áreas atingidas pelas águas quando da construção da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves;

- Lutou com "unhas e dentes", quase perde o juízo para não vê fechado, no início da década de oitenta, um dos mais importantes estabelecimentos de ensino da região, o IPI;

- Articulador inigualável para a criação do consórcio à implantação da emissora de rádio 'Princesa do Vale';

- Ativista ferrenho para que os festejos de São João Batista tivessem dimensões além fronteiras norte-rio-grandenses;

- Incansável na defesa e justificativa para a implantação da Paróquia de São Cristóvão /Irmã Lindalva...

Enfim, nestes 52 anos de Assu Padre Canindé sempre buscou estar presente nas ações de viabilidade econômica e social da região. A pontualidade, responsabilidade, e honestidade são, entre outras virtudes, parâmetros inseparáveis deste religioso.

A população assuense, independente da religião de cada um, certamente reconhece os seus relevantes serviços prestados a esta torrão bendito de São João Batista e de Irmã Lindalva.   
                            Fonte: ASSU NA PONTA DA LÍNGUA



Nenhum comentário:

Postar um comentário