sábado, 28 de junho de 2014

JÚLIO CÉSAR DO BRASIL!!!

Julio Cesar Alexis Sanchez brasil x chile (Foto: AP)
Julio César defende a cobrança de Alexis Sánchez: goleiro conduz a Seleção às quartas de final (Foto: AP)

Quatro palavras, separadas em duas frases, resumem o que aconteceu neste sábado à tarde no Mineirão. Primeiro, o que Júlio César disse a Thiago Silva, instantes antes de o Brasil eliminar o Chile nas cobranças de pênalti, por 3 a 2, após empate por 1 a 1 até o fim da prorrogação, e avançar para as quartas de final da Copa do Mundo. Disse o camisa 12 ao capitão:

- Vou pegar.

E pegou. Julio Cesar defendeu a cobrança de Pinilla, que chutou forte, mas no meio do gol. E em seguida espalmou o chute de Alexis Sánchez. Não precisou pegar o chute de Jara, que explodiu na trave e fez explodir o Mineirão. David Luiz, Marcelo e Neymar marcaram.Felipão Scolari comemora enquanto Neymar chora brasil e chile mineirão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com) Felipão vibra com a vaga, Neymar e Thiago Silva, ao fundo, choram (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

A segunda frase que explica o jogo nasceu no meio da prorrogação, no auge da agonia, no ápice do sofrimento, quando quase não se respirava nas arquibancadas e mal se pensava em campo. O Brasil sofria e fazia sofrer.
- Eu acredito!

Foi tamanho o nervosismo, o sofrimento, que o Mineirão tratou de inventar um grito novo, jamais ouvido em partidas do Brasil. E a Seleção lá é time no qual é preciso declarar fé?

                David Luiz Gol Brasil e Chile (Foto: Agência AP)
 Jara desvia de chilena, bola raspa na barriga de David Luiz e vai para o gol (Foto: Agência AP)

Quadrilhas Juninas


Foto: Parabéns, muito orgulhoso de todos vocês.

Também chamada de quadrilha caipira ou de quadrilha matuta, é muito comum nas festas juninas. Consta de diversas evoluções em pares e é aberta pelo noivo e pela noiva, pois a quadrilha representa o grande baile do casamento que hipoteticamente se realizou.
Foto: Já está tudo preparado para logo mais

Esse tipo de dança (quadrille) surgiu em Paris no século XVIII, tendo como origem a contredanse française, que por sua vez é uma adaptação da country danse inglesa, segundo os estudos de Maria Amália Giffoni.

A quadrilha foi introduzida no Brasil durante a Regência e fez bastante sucesso nos salões brasileiros do século XIX, principalmente no Rio de Janeiro, sede da Corte. Depois desceu as escadarias do palácio e caiu no gosto do povo, que modificou suas evoluções básicas e introduziu outras, alterando inclusive a música.

Foto: Olha aí a freira ! Meu deus! Kkkkk
A sanfona, o triângulo e a zabumba são os instrumentos musicais que em geral acompanham a quadrilha. Também são comuns a viola e o violão. Nossos compositores deram um colorido brasileiro à sua música e hoje uma das canções preferidas para dançar a quadrilha é “Festa na roça”, de Mario Zan. O marcador, ou “marcante”, da quadrilha desempenha papel fundamental, pois é ele que dá a voz de comando em francês não muito correto misturado com o português e dirige as evoluções da dança.

 Hoje, dança-se a quadrilha apenas nas festas juninas e em comemorações festivas no meio rural, onde apareceram outras danças dela derivadas, como a quadrilha caipira, no estado de São Paulo, o baile sifilítico, na Bahia e em Goiás, a saruê (combina passos da quadrilha com outros de danças nacionais rurais e sua marcação mistura francês e português), no Brasil Central, e a mana-chica (quadrilha sapateada) em Campos, no Rio de Janeiro.


A quadrilha é mais comum no Brasil sertanejo e caipira, mas também é dançada em outras regiões de maneira muito própria, caso de Belém do Pará, onde há mistura com outras danças regionais. Ali, há o comando do marcador e durante a evolução da quadrilha dança-se o carimbó, o xote, o siriá e o lundum, sempre com os trajes típicos. 

Chuva de Balas no País de Mossoró


Neste ano de copa do Mundo, a expectativa é que 1,5 milhão de pessoas passem por Mossoró em junho, incluindo estrangeiros torcedores das várias seleções que jogarão entre Natal e Fortaleza. Mexicanos, gregos, uruguaios, alemães e americanos são alguns dos turistas aguardados. Eles são parte do público que virá ver os jogos de suas seleções nas cidades sedes e serão atraídos para o maior arraiá do Brasil.



Durante o mês de junho um espetáculo encenado ao ar livre conta a história de bravura e resistência de Mossoró ao Bando de Lampião. O fato aconteceu no ano de 1927 e é contado em um cenário real, a Capela de São Vicente, mesmo local da batalha travada entre o povo de Mossoró e os cangaceiros. O espetáculo Chuva de Bala no País de Mossoró, produzido desde 2003, com elenco de atores mossoroenses, dramatiza os principais atos do confronto. Este ano o espetáculo será dirigido pelo teatrólogo potiguar João Marcelino.


 Hoje, é quase impossível falar do Mossoró Cidade Junina e não fazer referência ao ‘Chuva de Bala’, o espetáculo cresceu e ganhou uma proporção gigantesca, com forte destaque na mídia nacional.


Além dos 55 atores em palco, o espetáculo conta com o reforço de 100 crianças do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI. Todos se revezam no palco de 510 m², montado no adro da Capela. Para o público são disponibilizados quatro mil cadeiras e arquibancadas.



 









quinta-feira, 19 de junho de 2014

A derrota por 2 a 0 para o Chile 'fechou o caixão' da seleção espanhola.


A Espanha perdeu para o Chile, nesta quarta-feira, e deu adeus a Copa do Mundo no Brasil. Desta forma, nos quatro mundiais disputados até agora no século 21 (2002, 2006, 2010 e 2014), em três oportunidades a seleção campeã da última edição deu vexame e foi eliminada ainda na fase de grupos no Mundial seguinte. Vista como uma das grandes favoritas para a Copa de 2014. 
A goleada sofrida para a Holanda por 5 a 1 na estreia surpreendeu a todos, e a derrota por 2 a 0 para o Chile 'fechou o caixão' da seleção espanhola.
Vexame espanhol e festa chilena; veja as melhores fotos do jogo que eliminou a campeã de 2010 - 1 (© Pedro Torre ESPN.com.br)
  Diego Costa, substituído no segundo tempo, foi vaiado mais uma vez pela torcida brasileira.
Vexame espanhol e festa chilena; veja as melhores fotos do jogo que eliminou a campeã de 2010 - 1 (© Pedro Torre ESPN.com.br)
   Vargas solta o grito após marcar o gol do Chile no primeiro tempo.
Vexame espanhol e festa chilena; veja as melhores fotos do jogo que eliminou a campeã de 2010 - 1 (© Pedro Torre ESPN.com.br)
  Aranguiz foi só sorrisos após marcar contra a Espanha.



domingo, 15 de junho de 2014

MESSI FAZ GOLAÇO, E ARGENTINA BATE BÓSNIA

O camisa 10 da Argentina, Messi, é o destaque do jogo, que acabou com a vitória da seleção (Foto: Fifa)

   Com várias oportunidade perdidas, a Argentina conseguiu vencer a Bósnia por 2 a 1, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. No primeiro tempo o time de Messi ficou confuso e jogou tecnicamente inferior que a Bósnia, mas no segundo tempo conseguiram se organizar e conquistaram os pontos.

Torcedores do Japão dão show de educação e limpam estádio após jogo.

       A derrota para a Costa do Marfim, por 2 a 1, na estreia da Copa do Mundo, neste último sábado, não deixou os torcedores japoneses contentes. Apesar disso, a torcida nipônica deu um show de educação e civilidade após o apito final na Arena Pernambuco, no Recife: alguns ajudaram a coletar e ensacar o lixo produzido por eles durante a festa nas arquibancadas.

Torcida do Japão limpando Arena Pernambuco  (Foto: Reprodução / Facebook)

Cultura do RN


  A união dos três grupos étnicos fundadores do povo brasileiro - o negro, o índio, e o português - aliados aos imigrantes holandeses formam a origem do povo norte-rio-grandense.


  É possível ver a influência holandesa bastante acentuada principalmente no interior do Estado, enquanto na Capital vemos uma maior concentração de pessoas com origem portuguesa e indígena.


  A raça negra influencia mais nitidamente no tocante as tradições. Danças, religião, comidas, celebrações e tradições trazidas da cultura negra estão presentes no dia a dia do Potiguar.





  De acordo com o senso de 2000, 53,4 % da população do Rio Grande do Norte é parda; 41% branca; 3,6% negra e 0,7% de amarelos o índios.


   A influência da diversidade cultural está presente nos eventos populares e no folclore norte-rio-grandense, que vai de procissões a vaquejadas, e de danças típicas como forró, quadrilhas estilizadas e Bumba-meu-boi.


  Contadores de viola, cordelistas, repentistas, emboladores e grupos de dança que recontam a história do povo potiguar. É a presença mais marcante desta cultura, que é uma das mais ricas do nordeste. Estão presentes por toda a cidade, mas é mais fácil encontrá-los em centros culturais como a Capitania das Artes.


   Além disso, a cultura do Rio Grande do Norte é marcada pelas festividades tradicionais, principalmente pelas comemorações religiosas e pelos arraiais. 


  O Dia dos Santos Reis, a Festa do Caju, a procissão de barcos de Nossa Senhora dos Navegantes fazem parte das festividades no mês de janeiro; quando chega junho, o clima muda e a paisagem das cidades fica tomada por fogueiras e arraiais juninos em cada bairro.


    Competições de quadrilhas e a culinária típica das festividades juninas tomam as cidades de assalto, promovendo os mais animados eventos do ano.


    O artesanato do Rio Grande do Norte também é marcante, com sua influência nas culturas dos colonizadores. Materiais como couro, madeira, areias coloridas, barro e pedras semipreciosas ou não, fazem do artesanato deste Estado um dos mais ricos do Nordeste. 


   Também são muito famosos os delicados trabalhos das Rendeiras: toalhas, mantas, enxovais, todos feitos a mão com bordados, apliques de renda, e labirinto, criados com o cuidado e o carinho de quem aprendeu a arte de bordar e rendar desde a infância. 

Por Lilian Canen.
http://www.nataltrip.com/rio-grande-do-norte-rn/cultura/

sábado, 14 de junho de 2014

URUGUAI CEDE VIRADA PARA COSTA RICA, E BRASILEIROS IRONIZAM 1950 COM OLÉ!

      Celeste não confirma favoritismo, prova do veneno usado no Brasil há 64 anos e inicia mal no grupo da morte em jogo com brilho do jovem Campbell.


      A virada contra o Uruguai levou a Costa Rica aos holofotes neste sábado (14), como a primeira grande surpresa da Copa Mundo. Porém, para o atacante Joel Campbell, que marcou o primeiro dos centro americanos e abriu caminho para a virada, o resultado não foi nenhuma 'zebra'.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Brasil, Holanda, México e Chile começam na frente!!!


   

 Com direito a lances humilhantes, como o do quinto gol, quando o carequinha fez Casillas cair cruelmente duas vezes no chão antes de mandar para as redes.
Espanha e Holanda jogam pela primeira rodada, em Salvador (© AP)

       Sob a forte chuva que caiu na capital do Rio Grande do Norte, o México superou dois erros da arbitragem e conseguiu vencer Camarões por 1 a 0, com gol de Oribe Peralta. Nas arquibancadas, a torcida mexicana fez um espetáculo paralelo, cantando durante o jogo inteiro e incentivando o time.

México e Camarões estreiam na Copa, em Natal (© AP)

   Chile estreia com vitória suada sobre a Austrália na Arena Pantanal. Se o placar de 3 a 1 sugere uma partida fácil, a impressão é errada. A noite foi de festa nas arquibancadas, mas de muita luta em campo. 


Chile e Austrália estreiam na Copa, em Cuiabá

    O pênalti que originou o segundo gol do Brasil na vitória por 3 a 1 contra a Croácia gerou muitas reclamações dos adversários e repercutiu negativamente no mundo todo. O protagonista do lance, o atacante Fred, deu sua versão do ocorrido e afirmou categoricamente que recebeu uma carga nas costas. 'Foi pênalti claro', afirmou.

Para Fred, carga no ombro caracterizou 'pênalti claro' contra a Croácia (© Getty)