domingo, 3 de julho de 2016

5. Preservar a autonomia e a individualidade



É preciso que todas as crianças da mesma turma façam a mesma atividade ao mesmo tempo? Nem sempre, dizem os especialistas.

Projetos e brincadeiras em grupo são importantes, mas também o são os momentos em que as crianças podem escolher entre uma aquarela para pintar ou um livro para ler. O objetivo é dar-lhe liberdade e autonomia.

Outra forma de estimular isso é durante as refeições, por exemplo permitindo que crianças de 2 ou 3 anos comecem a tentar se servir. "Há pais que se surpreendem em ver que seus filhos conseguem fazer algumas coisas sozinhos", explica Marcia, do CEI Suzana Campos.

Daniel Santos orienta também que se fique atento "à criança que está fora do grupo e buscar entender o porquê (de ela não participar das atividades)".

Além disso, é preciso enxergar as crianças como seres singulares, que vão vivenciar as experiências cada uma a seu modo.

Marcia sugere, por exemplo, que bebês fiquem nos berçários com algum pedaço de pano que tragam de casa, cujo cheiro remeta à família. "Eles estão aprendendo outros vínculos além da mãe", explica.

A disponibilidade para atender os pais e incluí-los no projeto pedagógico é outro ponto crucial, diz Shirley.

"Fazemos encontros temáticos com os pais, sobre brincadeiras, o Estatuto da Criança, a importância da leitura - até para eles entenderem que quando o seu filho voltar para casa de bermuda suja de terra ou tinta será um sinal de que ele brincou, explorou, desenvolveu capacidade de equilíbrio, confiança e força."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Na escola e na avenida, os nossos versos do dia a dia são repletos de poesia

     Na tarde do dia 08 de setembro de 2022, o autor do livro "Poemas do meu viver", Endrison dos Santos, desfilou no desfile cívi...